terça-feira, 25 de maio de 2010

Um Pouquinho de Brasil por Duda Amorosino

Polvilho de Araruta

Vi no blog da Neide Rigo a foto de uma  raiz de araruta.
Pouca gente fala ou conhece araruta hoje em dia.
No interior de Goiás, de onde vim, os biscoitos mais finos era feitos com ela.
Infelizmente, a indústria de alimentos ao invadir as nossas cozinhas substituiu o polvilho de araruta pelo de mandioca, pela farinha de trigo ou de milho.
 Prá quem não conhece, araruta é um turbeculo do qual se extrai um polvilho leve, fácil de digerir e sem glúten. Ela é nativa da América do Sul e sua planta é uma touceira baixa, que dá uma flor branca.
Há alguns anos pesquisadores da EMBRAPA  lançaram uma cartilha ensinando como plantar e cultivar a araruta, na tentativa de resgatar esse costumes.
Se vc tem quintal, sítio ou fazenda porque não experimenta? Nada é mais gratificante do que ver a força de um broto surgindo verdinho em folha.

Mané Pelado

Existem muitas receitas desse bolo de mandioca conhecido por Mané Pelado.
Essa vem direto de Goiás e nos acompanha há muitas gerações.

INGREDIENTES
1 xícara de chá de leite
1 xícara de chá de açúcar
1 xícara de chá de de manteiga
6 ovos
1 prato fundo de mandioca ralada e torcida no pano
1/2 prato de queijo minas ( curado) ralado
50 gramas de coco fresco ralado ou um pacotinho.

MODO DE FAZER
 Bata o açúcar, as gemas, e a manteiga até a massa ficar clarinha.
Adicione os outros ingredientes e por ultimo as claras em neve.
Colocar em forma baixa untada
.O tempo de cozimento, depende de cada forno.Como diz uma grande cozinheira de Goiás, marido e fogão cada um conhece o seu ..srsrs

Brincadeiras à parte, é preciso que o bolo tenha um tom caramelado.