quarta-feira, 26 de maio de 2010

Um Peixe Chamado Filhote

Apaixonei-me por Belém à primeira vista.
Pela comida, pelos cheiros, por ser uma cidade que respira cultura e porque se orgulha de tudo que é.
Fiquei tão alucinada, que uma amiga disse que meu quarto parecia uma filial do mercado "Ver-o-Peso".
Comprei de tudo: pimetas de cheiro e cumari, maços de jambu, litros de tucupi, castanhas, goma de mandioca, camarões secos, farinha amarela e até sorvete de taperebá. Aliás, chegou aqui sem derreter.
Mas o que me colocou de joelhos foram as diversas versões de receita com o peixe filhote que comi na cidade. Não importa o lugar, desde botecos até restaurantes estrelados, o filhote reina absoluto. É um peixe de água doce na verdade se chama Piraíba mas sua carne só é boa, quando ele é filhote( até 60 kilos). Por isso o nome. 
É um peixe de pesca protegida e não é comum no sudeste do país. Sua carne é tenra e branquinha.Grelhado ou ensopado, ele é muito bom.

              MOQUECA DE FILHOTE
 
foto Walkiria

INGREDIENTES:

500 grs de filhote
sal a gosto
1/2 limão
4dentes de alho
1 cebola picada
1 tomate picado
1 pimentão verde
1 batata grandes cortada em cubos
11/2 xícara de chá de tucupi
Pimenta
2 colheres de sopa de goma de tapioca
500 grs de camarão
2 colheres de sopa de cebolinha, salsinha
1/3 do maço de jambu

MODO DE FAZER:

Tempere o peixe já cortado em postas e deixe descansar um pouco.
Envolva o peixe com todos os outros temperos. Refogue a cebola o tomate e o pimentão e a pimenta picados e junte o peixe, a batata em cubos e o tucupi. Engrosse com a goma da tapioca diluída em água e deixe cozinhar por aproximadamente 15 minutos.Cinco minutos antes de desligar coloque os camarões.
Jogue por cima o cheiro verde picado, tampe por 3 minutos  e sirva com arroz e mais pimenta.